Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

Compartilhe

Por favor, deixem ligados os celulares.

Postado 2018/08/14

Os estímulos externos sempre atuam como elementos sabotadores em reuniões corporativas e treinamentos “in company”, distraindo a atenção dos adultos, levando seus pensamentos para outros lugares que não o foco tratado pelo moderador ou instrutor.

Os ruídos são, comumente, aqueles estímulos mais evidentes. Não faz muito tempo, eu estava em uma reunião acontecendo na modalidade de “Webconference” entre profissionais do Rio de Janeiro e de São Paulo, quando um vira-lata resolveu participar do evento. O impressionante é que eu estava em um edifício no centro do Rio de Janeiro, no 28º andar. Isso mesmo!

 

Outros sabotadores, quando nos referimos a esses estímulos, aparecem quando os eventos acontecem em lugares com vista para ambientes externos. Pode ser um bucólico jardim, uma praia próxima ou uma rua de bairro. As imagens curiosas provocadas por um simples beija-flor, um iate que passa lentamente ou uma colisão de veículos abduzem o participante de maneira covarde para longe das reuniões, palestras e treinamentos.

 

As condições climáticas também podem contribuir.  A temperatura da sala e a umidade relativa podem prejudicar o evento deixando os participantes incomodados. No tocante à temperatura, os aparelhos de ar-condicionado, ou aquecimento, nunca estarão em condições de atender às necessidades pessoais de cada um. Assim, é bem possível que os feedbacks de avaliação de reação da mesma reunião, registrem reclamações de “a sala estava muito fria”, bem como “a sala estava muito quente”....

 

Quanto à umidade relativa, dependendo da cidade e das condições da sala, alguns problemas são previsíveis. Muitas palestras eu fiz na região central do Brasil, sem qualquer tipo de problema; no entanto, mais de um colega da região sudeste, sofreu com sangramentos no nariz durante suas aulas, devido a baixa umidade do ambiente.

 

Ruídos, imagens e condições climáticas são pontos a serem tratados nos projetos das salas, mas quando já nos encontramos em situações que nada podemos fazer, a não ser atuar como moderadores e instrutores, sabemos que nossos esforços serão maiores e teremos que utilizar mais recursos para reter a atenção dos participantes adultos.

 

É exatamente aí (mas não somente) que entra em cena um recurso muito poderoso. Até há pouco tempo, tal recurso, recebia a pecha de sabotador implacável de reuniões e treinamentos “in company”: o celular.

 

Através do grande ambiente de rede, com recursos de internet e facilidades de Wifi, podemos envolver o público com pesquisas de textos durante os eventos, com enquetes sobre o tema e com a possibilidade de fazer perguntas em um depositório virtual que poderão ser respondidas de forma síncrona ou assíncrona. O celular pode ser atualmente, um dos grandes facilitadores de reuniões e treinamentos.

 

Alguém pode até argumentar, com razão, que uma mensagem de fora que chega ou uma ligação externa, pode ser uma ação de distração. É fato. Fato também é que, a cada dia que passa, tais aparelhinhos estão se transformando em parceiros em treinamentos de adultos e isto é um caminho sem volta. Devemos estimular seu uso.

 

Licença Creative Commons
O trabalho "Por favor, deixem ligados os celulares." de Carlos Santarem está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://squalidade.com.br/.